Conheça os principais erros ao usar o discador automático

Erros simples ao usar o discador automático comprometem a performance da ferramenta. Conheça os mais recorrentes e saiba como solucioná-los
[featuredInternaPostBlog]
[metaInternaPostBlog]

Até pouco tempo atrás, a tecnologia do discador automático só era acessível para grandes operações, com várias posições de atendimento. Assim, as menores precisavam se virar com as ferramentas que tinham. Isso obrigava os agentes a fazerem ligações manuais para os possíveis clientes. Hoje, a realidade é diferente. Até mesmo operações com uma posição de atendimento podem ter a ferramenta auxiliando no processo. Mas isso deu origem a outro problema: as pessoas estão cometendo muitos erros ao usar o discador.

A equipe de suporte da 3C Plus recebe, diariamente, chamados para solucionar alguns problemas. Esses, podem ser resolvidos com configurações corretas antes de colocar o discador para trabalhar. Por isso, nós preparamos um guia com os principais erros que as operações cometem ao usar o discador automático. Assim, você já pode se antecipar e poupar dores de cabeça.

Mailing

Para que o discador tenha uma performance de excelência, é necessário que o mailing esteja em ótimas condições. Afinal, a lista de contatos é o combustível da ferramenta. Sem mailing, ela não vai funcionar.

Mesmo assim, o erro mais comum que as pessoas cometem é a falta de higienização e enriquecimento da base. Por muitas vezes, os gestores não têm conhecimento da origem desses contatos. Assim, eles inserem no sistema da 3C sem revisão prévia. Por consequência, o discador começa a trabalhar com um mailing poluído, cheio de contratos improdutivos e que só geram gastos. 

Anteriormente, a nossa equipe de suporte já encontrou bases com centenas de números duplicados, clientes sem números, entre outros. Por isso, é muito importante que, antes de importar o mailing na discadora, você faça uma revisão geral. Higienize para tirar aqueles contatos repetidos e improdutivos e faça o enriquecimento para incluir informações importantes.

Sem isso, a efetividade da discadora e a produtividade dos agentes se torna limitada. 

Configurações da campanha

Outro fator do uso incorreto do discador é a má configuração das campanhas. Muitos gestores que usam o plano minutagem não se atentam às configurações avançadas. Mas isso é um grande erro, visto que elas são de extrema importância para diferentes estratégias da operação.

Por exemplo, caso a ligação complete e não haja algum agente disponível, o cliente pode entrar em modo de espera. Essa função se chama  Tempo de Espera, e ela pode ser boa ou apenas gerar custos desnecessários. Nesse caso, o gestor precisa analisar se ela está sendo útil ou não. Isso porque se, posteriormente, a ligação não conectar com o agente, o tempo de espera é tarifado normalmente.

Por isso, é tão importante que os gestores tenham uma visão analítica sobre as configurações da campanha.

Agressividade da campanha

A agressividade da campanha também precisa ser controlada em planos de minutagem. Existe um mito de que a agressividade das campanhas precisa ser elevada, e isso não é verdade.

O gestor precisa ser analítico. Se a operação já está com a produtividade alta, não há motivos para configurar uma agressividade alta. Além disso, a análise das métricas é indispensável nesse processo. Por exemplo, se o relatório mostrar que existe uma porcentagem alta de ligações abandonadas, reduza a agressividade. Isso indica que certamente a campanha está gerando mais ligações que a sua operação consegue atender.

Clientes estão desligando as chamadas assim que elas conectam

Esse é um problema muito comum nas operações de discagem preditiva. Para resolver, basta saber como a ferramenta funciona.

Logo que a ligação é atendida, o sistema o por 2 segundos coloca em AMD. Nesse período, ele está falando sozinho, enquanto o sistema identifica se esse é um “alô humano”, caixa postal ou silêncio. Se a ferramenta identificar que há uma pessoa do outro lado, a ligação será transferida para o agente.

É nessa hora que ele precisa ficar atento. Muitos operadores ficam esperando o cliente dizer ‘alô’ após o beep. Mas ele já disse anteriormente e está aguardando resposta. Assim, o cliente desliga o telefone porque não teve uma resposta.

Ou seja, após o beep o agente precisa iniciar a conversa imediatamente.

Esses são os principais erros ao usar o discador, e estão presentes na rotina de várias operações. Como você viu, são situações simples de resolver e podem ser solucionadas com uma simples busca, como: o que saber ao usar o discador automático?

Ficou com alguma dúvida? Deixe nos comentários!

Até a próxima.

Escrito por:

[categoriasPostBlog]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leia também

Cadastre-se para receber nossos conteúdos